fbpx

Consumo planejado: dicas para evitar deixar a renda familiar no vermelho

O consumo planejado vai além de controlar os custos, ele exige que se tenha consciência da receita e que a família atue em conjunto. Confira no post de hoje a melhor maneira de fazer esse planejamento!
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Consumo planejado: dicas para evitar deixar a renda familiar no vermelho


Organizar o orçamento familiar sempre foi um desafio, muitas famílias acabam gastando mais do que ganham e ficam no vermelho. A pandemia agravou ainda mais essa situação, pois os rendimentos diminuíram. Um levantamento, apontou que em dezembro de 2020, 66,3% dos consumidores estavam endividados.

Para driblar essa situação é preciso se adequar a realidade e fazer um planejamento para controlar as contas. Veja como fazer isso.

Tenha o controle dos gastos

Não tente calcular de cabeça quanto pode gastar, isso faz com que esqueça alguma conta importante e acabe ficando no vermelho. É preciso saber qual a renda familiar e quanto se gasta todos os meses. Se mais de uma pessoa contribui com o orçamento, pode ser interessante decidir quem fica responsável pelo pagamento de qual conta.

Colocar os que se ganha e o que gasta em uma planilha ou aplicativo próprio para isso, ajuda a ter uma visão melhor e a não exceder os limites do endividamento. 

Defina quais são os objetivos familiares

O consumo planejado prevê definir quais são os objetivos familiares para fazer uma programação em cima disso.

Uma viagem de férias, trocar de carro, comprar uma casa, tudo deve ser listado e assim decidir formas de juntar dinheiro para realizar os planos. Portanto, não basta definir os objetivos, é preciso pensar em como juntar dinheiro para que possam ser concretizados.

Evite os parcelamentos

Parcelar as contas acaba sendo uma maneira de se afundar em dívidas. A ideia de jogar os custos sempre para frente causa a falsa sensação de ter dinheiro.

O problema nesse caso é que as pessoas não somam as contas que precisarão pagar no mês seguinte e quando chegam as faturas, não possuem dinheiro para quitar.

O consumo planejado do orçamento familiar deve fugir do parcelamento. O ideal é pagar tudo à vista e quando não tiver dinheiro esperar juntar para fazer a compra. Somente situações de emergência devem ser parceladas.

Contrate um plano de saúde  

O plano de saúde possui um custo mensal, porém, quando se calculam os gastos com a saúde ele pode ser bastante vantajoso. Se precisar de atendimento médico de urgência, uma cirurgia ou até mesmo agendar uma consulta de rotina não dependerá do SUS, bem como não terá que desembolsar altos valores com procedimentos emergenciais.

Além disso, no sistema público terá de aguardar meses para ser atendido. Se precisar pagar pelo procedimento particular ele pode custar um valor bem alto. Por exemplo, se considerar o preço do parto com e sem plano de saúde, vai perceber grande vantagem de contar com o convênio médico.

Ao fazer as contas verá que a assistência médica é vantajosa e uma maneira de economizar com a saúde. 

Renegocie as dívidas

Para que se possa organizar o orçamento, a primeira coisa a fazer é quitar os débitos para sair do vermelho. 

Busque pelos credores e renegocie as dívidas de forma que possa pagar e não ter o risco de ficar com o nome negativado. Uma opção é transferir a dívida de instituição financeira.

Existem bancos que compram seus débitos e fazem negociações com juros menores, isso permitirá ter uma folga e diminuir o valor total que deverá ser pago.

Defina como gastar o orçamento

Determinar de que forma o dinheiro será gasto é uma das maneiras de controlar o orçamento. Inicialmente não é preciso detalhar os gatos, mas estabelecer limites para cada coisa.

Com base nos rendimento, defina quanto será destinado para cada coisa. Por exemplo, com aluguel será R$ 800,00, com as contas de água, luz e internet, R$ 500,00, compras do mercado R$ 600,00, lazer R$ 400,00, etc. 

Ao estabelecer limites, aí sim deverá planejar como gastar, sempre respeitando o máximo que tem para cada atividade. Fazendo dessa forma terá um controle e dificilmente irá se endividar.

Crie uma reserva

Já deve ter ouvido falar que é preciso ter uma reserva financeira, pois ela pode ajudar em momentos difíceis. Essa é uma realidade que a maioria das famílias ignora e só percebe a importância quando realmente precisa.

O ideal é assim que receber já separar uma parte do valor para colocar no fundo de reserva, isso impedirá que acabe gastando o dinheiro. Deixe o valor aplicado e não conte com ele para não cair em tentação e gastar.

Somente em situações de emergência como saúde e outros que é que deverá recorrer ao fundo de emergência, caso contrário o ideal é que ele fique “esquecido”.

O consumo planejado é uma das melhores maneiras de evitar que o orçamento familiar fique comprometido. Se atentar aos gastos, cortar despesas desnecessárias e evitar dívidas, ajudará a realizar os sonhos de consumo.

Por: Jeniffer Elaina, do site PlanoDeSaude.net.



Fonte: Blog Organizze

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Participe da conversa...

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Você é nossa prioridade.
Sempre!

Acreditamos que todos devem ser capazes de tomar decisões financeiras com confiança. Embora nosso site não apresente todas as empresas ou produtos financeiros disponíveis no mercado, estamos orgulhosos de que a orientação que oferecemos, as informações que fornecemos e as ferramentas que criamos sejam objetivas, independentes, simples – e gratuitas.

Então, como ganhamos dinheiro? Nossos parceiros nos recompensam. Isso pode influenciar os produtos sobre os quais analisamos e escrevemos (e onde esses produtos aparecem no site), mas de forma alguma afeta nossas recomendações ou conselhos, que são baseados em milhares de horas de pesquisa. Nossos parceiros não podem nos pagar para garantir análises favoráveis de seus produtos ou serviços. Aqui está uma lista de nossos parceiros.